Cinturão das Águas do Ceará recebe mais R$ 20,7 milhões para continuidade de obras

Cinturão das Águas do Ceará recebe mais R$ 20,7 milhões para continuidade de obras

Brasília (DF) – Foi liberado nesta quarta-feira (27) mais R$ 20,7 milhões para a continuidade das obras no Cinturão das Águas do Ceará (CAC), infraestrutura que abastece, desde 2021, a Região Metropolitana de Fortaleza. Realizada pelo governo estadual, a obra conta com 73,27% de execução e já recebeu, desde 2013, cerca de R$ 1,3 bilhão em investimentos federais.

O CAC é a principal estrutura em construção que leva a água do Eixo Norte da Transposição do Rio São Francisco ao Ceará. O ministro do Desenvolvimento Regional, Daniel Ferreira, explica como o empreendimento hídrico vai atender a população.

“É um projeto que vai levar as águas da transposição do Velho Chico da Barragem de Jati até o Rio Cariús, que historicamente sofre com estiagem nas épocas de seca. Então teremos mais 24 municípios beneficiados pela transposição do São Francisco. É mais engenharia para levar água para as pessoas que mais precisam no nordeste setentrional”, afirmou Daniel Ferreira.

Todo o projeto do CAC tem 145,2 km de extensão, compreendendo segmentos de canal a céu aberto, túneis e sifões. Em fevereiro, foi inaugurado o primeiro trecho, que corresponde aos lotes 1, 2 e 5, que faz a transposição de água para o Riacho Seco, seguindo por leito natural até os rios Salgado e Jaguaribe e, por fim, ao Açude Castanhão, que posteriormente transfere água para a Região Metropolitana de Fortaleza, atendendo 4,5 milhões de pessoas.

Além da capital e Região Metropolitana, também receberão as águas do CAC 24 cidades localizadas entre a Barragem de Jati e a Travessia do Rio Cariús, atendendo mais de 560 mil pessoas.

Transposição do Rio São Francisco

O CAC é uma obra complementar ao Projeto de Integração do Rio São Francisco, que conta com os dois eixos, Leste e Norte, concluídos. No caso do Eixo Norte, que abastecerá o CAC, as águas saem de Cabrobó, em Pernambuco, passam por Jati, no Ceará, e chegam à Paraíba e ao Rio Grande do Norte.

Além dos dois eixos, o projeto original da transposição do São Francisco inclui também o Ramal do Agreste, em Pernambuco, concluído no ano passado; o Ramal do Apodi, que vai atender 750 mil pessoas na Paraíba, no Ceará e no Rio Grande do Norte, já em obras; e o Ramal do Salgado, no Ceará, que está em fase de licitação.

 

FONTE: https://www.gov.br/mdr/pt-br/ultimas-noticias/cinturao-das-aguas-do-ceara-recebe-mais-r-20-7-milhoes-para-continuidade-de-obras