Glocal Experience discute no Rio inciativas de desenvolvimento sustentável

Glocal Experience discute no Rio inciativas de desenvolvimento sustentável

Um evento no Rio de Janeiro está discutindo iniciativas para proteger o nosso planeta.

Olhos atentos, ouvidos também, e o assunto é para todo mundo: governos, empresas, sociedade civil. É preciso falar sobre o futuro. A Glocal Experience é uma iniciativa da Dream Factory, com correalização da Editora Globo e apoio da Globo. O evento é gratuito e leva, até domingo (17), à Marina da Glória, no Rio, palestras, debates, oficinas que tragam um novo olhar sobre sustentabilidade. A base são os 17 objetivos de desenvolvimento sustentável da Organização das Nações Unidas, apresentados em forma de arte em painéis.

O lixo também pode se transformar em arte, como em esculturas, e com óculos de realidade virtual, a Baía de Guanabara muda. Hoje, suja e poluída. “Muito poluído, muito lixo, uma cena bem trágica”, diz uma visitante. Mas pode ser diferente. Repórter: “Você queria ver a Baía de Guanabara limpa desse jeito?” Visitante: “Com certeza, o mais rápido possível”.

O nome Glocal é a mistura das palavras global e local. A ideia é que pequenas iniciativas sustentáveis podem ter impacto e podem ser replicadas por todo o planeta. O desafio do debate é transformar consciência em ação. Foi o que fizeram dois oceanógrafos na Ilha Grande, litoral sul do Rio. Eles retiram restos de rede de pesca do fundo do mar, e as redes viram produtos como bolsas.

O projeto impede a morte de peixes e animais marinhos, e gera renda para pescadores da região. “A gente começou bem na pandemia, em 2020. Nesses dois anos, a gente já conseguiu interceptar mais de 1 tonelada de rede de pesca e gerar mais de R$ 100 mil para as pessoas da comunidade”, explica a fundadora do projeto Marulho, Beatriz Mattiuzzo. “O maior objetivo aqui é promover encontros, é mostrar para as pessoas que agem dentro de seus territórios que sonhar com o tema de uma forma maior também é possível. Que à medida que elas transformam suas comunidades, seus lugares elas provocam grandes transformações que o mundo precisa”, diz o diretor-geral da Glocal Experience, Rodrigo Cordeiro.

Pensar o futuro começa no presente e depende de cada um de nós. “A gente é o futuro. Então a gente também tem que pensar mais na natureza, então, tipo, aprender mais sobre a natureza para poder cuidar mais da natureza. É bastante importante”, afirma um estudante.

 

FONTE: https://globoplay.globo.com/v/10752822/